A palavra “programática” tem sido usada muitas vezes, sem destacar o significado dado ao processo. Neste blog, levaremos você através da evolução desta jornada para tudo que você precisa saber em Mídia Programática.

Não muito tempo atrás, se você quisesse veicular um anúncio gráfico, teria que se conectar a um site (Publicador), negociar um contrato e assinar um pedido de veiculação. No entanto, esse sistema não foi segmentado – não havia garantia de que a maioria de seu público-alvo que visitava esse determinado editor estaria interessada em seus serviços. Com a disponibilidade da enorme quantidade de dados para os profissionais de marketing on-line, é possível segmentar o público-alvo com anúncios relevantes que atendam às suas necessidades e interesses.

Em suma, vamos dar um exemplo do uso de redes de anúncios, como o Google AdWords, apoiado por algoritmos para veicular anúncios altamente segmentados para os visitantes. Mas a mídia programática amadureceu muito, não se limitando apenas a pesquisar e exibir anúncios. Atualmente, ele atende a mais mídias, como vídeos, e pode ser acessado em vários canais, como computadores e celulares.

O termo Mídia programática engloba todos os outros termos cruciais que muitas vezes você encontra nesse espaço, como trocas de anúncios, plataformas do lado da demanda (DSP), plataformas do lado da oferta (SSP), compra baseada em troca de inventário de anúncios, realismo tempo de lances (RTB) e redes de anúncios para veicular conteúdo segmentado em várias mídias para o público.

Explicando de forma mais simples o que é a mídia programática!

Podemos definir a mídia programática como uma forma automatizada na compra e também na venda de inventários para a propaganda e também a publicidade, que vai desde meios digitais até mesmo aos meios offline, que seria televisão, rádio entre outros.

É um processo onde as empresas adquirem um espaço comprado para consigam anunciar seus produtos e/ou seus serviços, de uma maneira mais eficiente e sem que exista a necessidade de uma negociação humana, ou seja, realizada com a intermediação de uma pessoa. Tudo é feito automaticamente, completamente digital.

Uma marca/agência utiliza a plataforma (DSP), que é uma plataforma de compra, para decidir quantas impressões devem ser compradas em um inventário e quanto eles desejam pagar por elas. Enquanto isso, os donos dos espaços publicitários, utilizam a plataforma (SSP), que é uma plataforma de venda, para que possam vender seus espaços dedicados às marcas. Essas plataformas funcionam em tempo real para tudo que possa acontecer em um mesmo momento.

Principais componentes do ambiente da mídia programática

Lances em Tempo Real (RTB)

O RTB é um método de compra que impulsiona a maioria das transações no processo. Com o RTB, um comprador pode definir parâmetros como o preço do lance e o alcance da rede. O padrão RTB é definido e é mantido pelo Interactive Advertising Bureau (IAB). Espera-se que dois terços de toda a publicidade em display digital de 2016 sejam realizados por meio de mídia programática.

Plataforma Lateral de Demanda / Plataforma de compra (DSP)

Essa é uma plataforma que automatizou a compra de inventário de anúncios das Ad Exchanges, seja pelos métodos RTB ou Programmatic Direct. Os DSPs (plataformas de demanda) facilitam o processo de compra de estoque de anúncios em um mercado aberto e ajudam você a atingir o público certo devido à integração das plataformas de gerenciamento de dados.

Esse é o maior conjunto de espaços de anúncios disponíveis (inventário), onde um anunciante pode fazer uma compra rápida sem ter que passar por vários editores. Os Intercâmbios de anúncios geram leilões para esses inventários de vários editores, uma impressão por vez. Existem milhares de trocas de anúncios, no entanto, as mais populares são o Google Ad Exchange, AppNexus e Facebook Exchange.

Plataforma lateral de suprimento / Plataforma de venda (SSP)

Os SSPs (plataforma do lado da oferta) gerencia o inventário de anúncios não vendido do editor. Ele também coleta dados como a duração de um visitante em um site e seus caminhos de navegação. Essas plataformas são os tomadores de decisão para escolher o lance vencedor e veicular o anúncio do vencedor no site do editor.

Plataforma de Gerenciamento de Dados (DMP)

As plataformas de gerenciamento de dados (DMPs) armazenam e analisam uma grande quantidade de dados (gerados em forma de cookies) que um profissional de marketing pode usar para tomar decisões mais perspicazes em relação ao seu público-alvo.

A compra programática ajuda os profissionais de marketing a definir orçamentos, metas e modelo de atribuição, enquanto a plataforma reajustará rapidamente várias variáveis ​​em tempo real para determinar as configurações de campanha corretas para alcançar o ROI desejado.

Você também pode executar uma campanha de compra segmentada (com base nas características do cliente, para criar um pool de usuários interessado em sua marca) ou pode criar um pool mais segmentado com os visitantes anteriores do seu website. Algumas métricas que você precisa entender antes de entrar no jogo programático são CPM, CTR etc. É importante entender essas métricas, porque elas definirão sua saída.

Custo por mil (CPM) é um modelo de anúncio que cobra um anunciante toda vez que seu anúncio é exibido para um usuário, independentemente de o usuário clicar nele ou não. A taxa é baseada em cada 1.000 impressões de anúncios. Taxa de cliques (CTR) é a taxa (%) na qual os usuários clicarão em um anúncio. Os benefícios da mídia programática podem ser resumidos em quatro categorias.

Benefícios do ambiente da mídia programática

A compra programática está se tornando cada vez mais sofisticada. É seguro dizer que a mídia programática acabará por deter a quota de mercado dominante da indústria de anúncios gráficos em linha. Novas oportunidades estão sempre surgindo, por isso conheça os benefícios utilizando o ambiente de mídia programática:

  • Compra Automatizada: Com maior eficiência e algoritmos bem equipados, as máquinas substituíram totalmente os humanos no futuro da publicidade.
  • Segmentação mais inteligente: Você pode garantir que os anúncios sejam exibidos para o público-alvo, em vários canais que têm a intenção de comprar seu produto. Você também tem acesso ao inventário premium, que de outra forma estaria inacessível.
  • Eficiência de custos: Esse processo é definitivamente mais econômico do que o estoque vendido diretamente. Se o processo normal de leilão não der certo, você sempre terá a opção de mudar para ofertas do Private MarketPlace (PMP).
  • Escala: Seu anúncio será apresentado em milhares de editores em vários formatos, como display, vídeo, social, celular e nativo.
5.00 avg. rating (100% score) - 2 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *