Na publicidade online é possível escolher um modelo de custos de acordo com uma necessidade específica, que está diretamente ligado às necessidades de cada campanha. Diferentemente da publicidade na mídia tradicional, na qual o custo de um anúncio depende do tamanho, cor e página em que está incluído.

modelo de custo

Além disso, um anúncio gráfico não é o mesmo, na maioria dos casos, mais semelhante à publicidade tradicional, do que um anúncio no Adwords ou em qualquer uma das redes sociais que permitem que as marcas enviem mensagens para o público milionário mediante pagamento da taxa estabelecida.

Portanto, a publicidade digital precisa incorporar outra série de métricas que ajudam a definir os diferentes investimentos. Neste post, mostramos as diferenças entre CPM, CPC, CPL, CPA e CPI. Custos que variam dependendo de:

  • As impressões de cada anúncio que são mostradas aos visitantes dos diferentes espaços da web.
  • Os cliques feitos nos links nos anúncios.
  • O número de vezes que um formulário é preenchido e o botão de chamada à ação (CTA) é pressionado.
  • As instalações de um programa ou aplicativo que estão disponíveis.
  • Outros tipos de ações que são identificadas como conversões.

As três métricas básicas da publicidade online

Em resumo, todos esses indicadores podem ser agrupados em torno de três métricas fundamentais:

  • Impressões

É a métrica mais básica. Parte do número de usuários que visualizam seu anúncio, valor que estabelece o investimento necessário. E é geralmente expresso em milhares. O que significa que o custo é calculado de acordo com cada mil impressões. Essa métrica é geralmente a mais numerosa.

  • Cliques

É, talvez, a métrica fundamental. Este é o número de vezes que um link é clicado. Seja em boletins informativos ou anúncios digitais, uma boa taxa de cliques geralmente é sinônimo de sucesso. Sempre que esse tráfego é direcionado para os espaços apropriados.

  • Conversões

Uma conversão pode ser qualquer tipo de ação que uma empresa decida ser a que lhe interessa: um download, preencha um formulário com os dados do usuário ou, até uma venda. O mais lógico é que, no funil de conversão, essa métrica seja a que tiver o menor número. No entanto, é o mais importante.

Com base nesses três indicadores, os principais modelos de custo da publicidade on-line podem ser identificados com base na interação solicitada pelo usuário.

Modelo de Custo por Mil Impressões (CPM)

O custo por impressão está diretamente relacionado ao número de vezes que um anúncio é exibido, conhecido como impressões.

modelo de custo

A métrica mais associada a esse tipo de custo é o custo por mil (CPM) que indica o valor atribuído a cada 1.000 impressões do mesmo banner. Por exemplo, se atribuirmos um valor de R$5 ao CPM de um anúncio e 30.000 impressões forem produzidas, o custo por impressão aumentará para R$150, resultado da multiplicação de 5 por 30.

Geralmente, o custo por impressão é usado para aumentar o reconhecimento da marca. De fato, o objetivo principal é geralmente o aumento da notoriedade da marca. Para outros tipos de objetivos, o CPM pode resultar em um investimento muito alto sem resultados claros.

Modelo de custo CPM digital é mais facilmente mensurável

O custo por mil impressões é o modelo de custo mais semelhante à publicidade tradicional. Tanto na televisão quanto no rádio ou na imprensa, a coisa mais normal é que o custo das campanhas depende, essencialmente, da quantidade de pessoas que a visualizam.

No caso da publicidade digital, a vantagem é que você pode saber exatamente o número de usuários que veem o anúncio. Por outro lado, na publicidade tradicional, a medição geralmente não é tão precisa quanto depende de sistemas de medição de audiência com base em médias de audiência ou extrapolações analíticas.

Esse modelo de custo é frequentemente usado com anúncios gráficos, embora também seja possível executar campanhas do Google Adwords focadas no CPM e não no CPC mais comum.

Custo por Clique (CPC)

O modelo de custo por clique, também conhecido como PPC (pagamento por clique), implica que você paga apenas pelo número de cliques feitos em um anúncio. O que logicamente deve levar a uma página de destino apropriada na qual o ciclo de conversão é fechado.

Embora o sistema mais conhecido seja o Adwords, anunciando na pesquisa do Google, o modelo de custo por clique também é usado em campanhas de banners publicitários.

Existem muitas plataformas, além do Google Adwords, que permitem contratação on-line simples e “autoatendimento” para a compra de cliques. Destacou a plataforma de anúncios do Facebook e Instagram. O objetivo fundamental do modelo de custo por clique é capturar tráfego para nossos espaços na web.

Conheça o modelo de custo CPC médio

O mais normal é que um anúncio seja visto por muito mais pessoas do que as pessoas que clicam nele. Portanto, o CPC é o modelo de pagamento que está sendo imposto no ambiente digital. Escolhendo o sistema de pagamento por clique, pelo menos, você garante que os usuários alcancem seus espaços digitais. E você paga apenas por esse tráfego e não por aqueles que supostamente viram seu anúncio.

É por isso que é tão importante dominar o CPC nos lances de anúncio do Adwords ou do Facebook. Uma boa otimização de custo por clique ajudará você a economizar dinheiro. Portanto, dependendo do país em que você fez um lance, é necessário conhecer o CPC médio. Somente então você poderá adaptar seus investimentos.

A qualidade dos anúncios (índice de qualidade), que afeta igualmente palavras-chave, anúncios e páginas de destino, é um fator determinante para alcançar campanhas de PPC com melhores preços e anúncios colocados em melhores posições.

Modelo de Custo por Lead (CPL)

Nesse caso, outra coisa é exigida pelo usuário. Por exemplo, registre-se, preencha um formulário, faça um download ou assine um serviço. Nesse modelo de preço, a conversão de um usuário em um lead é avaliada.

Ou seja, em uma pessoa que nos forneceu mais informações, o passo anterior para se tornar um cliente. Pode-se dizer que o usuário deixou de ser um lead frio para um lead qualificado.

Para entender o modelo de custo por lead, é necessário saber que existe um processo de criação de leads no qual os seguintes tipos de leads são identificados:

  • Lead frio: é o primeiro passo no qual um usuário se torna lead. Já houve um contato inicial com a marca. Por exemplo, uma assinatura ou um download. No entanto, esses são usuários que ainda não estão predispostos a comprar. É necessário que você os convença de que tem algo interessante para eles. Eles estão localizados no topo do funil (TOFU).
  • Lead qualificado para marketing: já existe mais uma etapa. O usuário demonstrou maior interesse em seus serviços. Por exemplo, são usuários que leem seus e-mails ou clicam nos links dos seus anúncios. Eles podem se tornar clientes interessantes, mas ainda é necessário trabalhar com eles. Eles estão localizados no meio do funil (MOFU).
  • Lead qualificado para venda (Hot Lead): esta é a etapa antes de um lead se tornar um cliente. Já está pronto para a venda. Para verificar isso, é interessante pedir que eles ofereçam mais dados de formas um pouco mais complicadas. O ideal é passar esses leads aos departamentos de vendas para tentar convertê-los em clientes. Eles estão na fase conhecida como parte inferior do funil (BOFU).

Nas campanhas de CPL, os anunciantes pagam por um lead interessado. Portanto, é um modelo apropriado para criar listas de registros poderosos.

Ou, ainda, criar programas de aquisição de membros com estratégias de nutrição de leads. Nas campanhas Custo por lead, é o anunciante que define o padrão e escolhe os editores ou a mídia relevante que podem levar os usuários a dar um passo adiante.

Modelo de Custo por Ação (CPA)

Consiste no custo pago por uma venda realizada. Obviamente, é o mais interessante para os anunciantes, pois apenas um usuário é pago por cada ação convertida, que já é considerada um cliente.

O modelo de custo por ação é amplamente usado no comércio eletrônico. Com o CPA, é possível medir com facilidade e rapidez o número de transações realizadas graças à publicidade online.

modelo de custo

A aquisição ou venda é o exemplo da conversão final que uma marca busca em uma campanha de marketing digital. Portanto, o custo por ação é o modelo ideal para determinar o retorno do investimento (ROI) de qualquer campanha.

A venda é considerada a conversão final, pois também representa o fim do funil de conversão. Não é possível estabelecer um contrato subsequente, pois existe apenas a compra repetida.

Portanto, as campanhas de CPA concentram-se em obter compradores nos momentos certos. Portanto, os números são geralmente muito menores. Além disso, o modelo CPA geralmente é associado a um rastreamento de usuário que geralmente é realizado por um dos seguintes canais:

Modelo de Custo por Instalação (CPI)

A abreviatura CPI também costuma ser usada por outro modelo de contratação de publicidade, o custo por instalação. O pagamento pela instalação refere-se ao pagamento variável pela instalação de um software, jogo ou aplicativo (aplicativo) baixado e instalado em um computador, tablet ou smartphone.

CPI ou Custo por Instalação é um dado que responde aos dados do investimento feito por uma marca sempre que um usuário instala um de seus aplicativos. A métrica estima o investimento necessário, levando em consideração os seguintes tipos de custos que influenciam o preço final:

  • Custo da promoção.
  • Desenvolvimento e manutenção do custo da aplicação.
  • O custo do usuário do próprio aplicativo.

O cálculo mostra um valor com o qual você sabe a quantia que precisa investir sempre que obtém uma instalação de aplicativo móvel.

5.00 avg. rating (100% score) - 1 vote

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *