Você sabe o que é Open Source? Pois saiba que esse conceito está relacionado ao próprio desenvolvimento da internet e, até hoje, traz importantes possibilidades ao fomentar o trabalho comunitário e conjunto.

Open Source

O nome em inglês significa, em português, “Código Aberto”. Essa é, aliás, sua principal característica. Isso porque esse tipo de sistema conta com a possibilidade de que qualquer usuário acesse seu código-fonte e faça ações sobre ele.

Como isso funciona, qual a importância e como você pode fazer uso do Open Source é o que veremos abaixo. Continue lendo para saber tudo sobre os códigos abertos e suas principais aplicações.

O que é Open Source?

Conforme o nome já indica, esse nome caracteriza os programas e softwares que funcionam com o código aberto. Ou seja, ao invés de somente o fabricante deter a codificação, todos podem usá-la.

E não apenas usá-la para fins de estudos, uma vez que uma das principais características desse tipo de sistema se revela na possibilidade de surgirem novas versões com outras funcionalidades.

Isso decorre, então, do trabalho colaborativo que usuários do software e programadores fazem.

Com base nesses códigos eles encontram, por exemplo, falhas e apresentam soluções para elas. Também, maneiras de adicionar outras funções que possam melhorar ainda mais a experiência.

Trabalho colaborativo entre usuários de software e programadores

Conheça um pouco mais

A partir disso, há o compartilhamento de novos códigos para outros usuários, que podem usá-lo e, igualmente, realizar alterações de acordo com suas necessidades ou reconhecimentos de falhas ou obstáculos no programa.

Outro fator muito importante do que é open source é que o compartilhamento de um código obtido a partir da alteração do original deve acompanhar, também, a codificação de origem.

Em outras palavras, imagine que você alterou um código de um programa de edição de textos.

Ao compartilhar a sua criação com outros usuários, o código do software original, sobre o qual ocorreu a sua alteração, deve ser compartilhado conjuntamente.

Desenvolvimento do Open Source ao longo da história

O desenvolvimento do que é Open Source acompanha a própria criação da internet.

Quando a ancestral desta, ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network) estava em desenvolvimento nas décadas de 1950 e 1960, o uso de códigos abertos e de trabalho conjunto e comunitário era constante.

Para isso, era comum o compartilhamento de códigos-fonte para que a comunidade de programadores pudesse revisá-los, fazer críticas e, também, apresentar melhorias e sugestões que visassem o aperfeiçoamento da ferramenta.

Por outro lado, na década de 1990 o que o Open Source encontrou um novo terreno: o sistema Linux. Sua criação ocorreu na Universidade de Helsinque, na Finlândia, por Linus Torvald.

Entendendo um pouco mais da evolução do Open Source ao longo da história!

A lógica desse tipo de sistema operacional é permitir aos usuários alterações e melhorias.

Aliás, é importante ressaltar que durante os 03 anos iniciais do Linux, Torvald, seu criador, reuniu as diversas contribuições, incorporando inúmeras delas ao seu protótipo original, o que levou à versão 1.0.

Esse compartilhamento de ideias e de alteração de códigos abertos para melhor uso ou aplicação de novas funções, cabe ressaltar, não se limitou aos anos 1990.

Afinal, até hoje isso é amplamente aplicado.

Aliás, o que é Open Source aparece cada dia mais e isso diz respeito, inclusive, ao sistema Android, por exemplo.

Não raro aparecem versões Beta que ficam disponíveis aos programadores, que testam as modificações ou fazem sugestões de melhorias.

Igualmente, são inúmeros os programas que usamos no dia a dia e que estão disponíveis em códigos abertos.

Por exemplo, editores de textos, softwares para assistir a mídias visuais e outros.

Open Source x Closed Source

Por fim, cabe entender qual é a diferença do que é Open Source e Closed Source. Diferentemente da primeira alternativa, que concede acesso ao código de programação aos usuários, o segundo não o faz.

Nesse caso estamos falando de um código-proprietário, cuja comercialização e alteração cabem tão somente ao dono dele.

Ou seja, a quem o desenvolveu ou à empresa que o encomendou. Assim, não há possibilidade de que seus usuários realizem alterações.

Muito menos que compartilhem os códigos, que ficam limitados ao proprietário. Caso não haja respeito a isso, entretanto, incorre-se em uma ilegalidade.

Os códigos fechados eram os mais comuns até não muito tempo atrás. Afinal, a empresa que o detém lucra justamente por comercializá-lo junto a uma licença. Assim, o seu lucro depende, também, da exclusividade sobre essa codificação.

Da mesma maneira, diferentemente do que é Open Source, o código fechado limita apenas ao proprietário do software a possibilidade de apresentar atualizações e novas versões do programa.

Quais são as vantagens de uso do Open Source?

Opens Source ajuda no funcionamento do negócio

Agora que você já sabe tudo sobre os códigos abertos e fechados e como eles se diferenciam, resta conferir quais são os benefícios que o Open Source oferece a você e ao seu negócio.

Considere, por exemplo, que embora não seja obrigatoriedade, a maioria desses programas e softwares é gratuita.

Custo x benefício

Ao mesmo tempo, as que cobram valores geralmente são muito mais baratas e aplicáveis que os softwares fechados. Por isso, você pode usá-los sem precisar investir dinheiro nisso.

Outro fator que ganha relevância é que ao apostar no que é Open Source você pode encontrar a versão que mais se enquadra na sua realidade e com os seus objetivos.

Por exemplo, ao encontrar o mesmo programa com algumas funcionalidades adicionais.

Multiplataformas

Além disso, é preciso lembrar que o Open Source se apresenta em diversos domínios e formatos diferentes.

Com isso, você encontra opções diversas e pode aplicar de melhor forma o seu dinheiro em investimentos mais urgentes à sua marca.

Segurança

Outras questões interessantes se revelam na segurança. Uma vez que diversos programadores atuam sobre o código, é possível que eles encontrem os tipos de falhas que ele oferta e, assim, desenvolvam formas de contorná-las.

Por fim, ressaltamos que hoje é possível encontrar inúmeras ferramentas que automatizam seu marketing digital e que, por sua vez, baseiam-se em códigos Open Source.

Com isso, você melhora seu alcance e conta com o que há de mais moderno no desenvolvimento de softwares.

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *